Dicas básicas para reduzir os custos da importação

Atualizado: Mai 24

Com o passar dos anos, o Comércio Exterior tornou-se uma área com alta demanda e, por conta disso, houve um aumento significativo na competitividade entre empresas. Hoje, uma das principais palavras principais que estão no dia-a-dia de quem trabalha em toda a cadeia de importação é a economia.


Afinal: com tantos tributos, impostos e taxas a serem pagas, é possível importar pagando menos? De forma muito simples, respondemos que sim. Ainda dizemos mais: com dicas básicas e atenção que toda a operação requer, é possível se organizar para trazer mercadorias a um preço mais em conta.


Neste post, traremos para vocês algumas dicas - básicas e possíveis - que podem facilmente serem utilizadas para reduzir os custos ao realizar uma importação.


Acompanhe o raciocínio:



Dica 1: Planejamento


Como todos os projetos que montamos ao longo de nossas vidas, a importação começa na sua fase mais embrionária, através da organização de ideias e planejamento de todas as etapas. Em todas as fases, cada passo dado será importante para otimizar os custos da operação.


Junto a um time de especialistas, é necessário fazer um estudo detalhado para entender as soluções disponíveis no mercado e a que mais se adequa para o seu projeto. Para isso, é interessante contar com diferentes opções de prestadores de serviços dá a escolher opções que apresentem vantagens ao importar.


Buscar diferentes profissionais de uma mesma área, como exemplo os agentes de carga e transportadoras, para trocar ideias e até negociar os melhores preços, vai ser muito produtivo para o processo todo. Escutar experiências e pontos de vistas diferentes auxiliam na clareza dos pensamentos e, consequente, na definição do processo.


... mas muito cuidado!


Aqui, vale ressaltar que: nem sempre o melhor preço, será o melhor serviço prestado. E neste quesito, o mais importante é buscar SEMPRE manter a qualidade, não é? Para todos os efeitos, é somente através da pesquisa que você terá respostas sólidas para os diferentes questionamentos.



Dica 2: Negociação com os fornecedores


Desenvolver parceria com fornecedores é uma forma viável de conseguir negociações que reduzam os custos na hora de comprar a mercadoria.


O ideal é experimentar fazer cotações com empresas que dominem a operação e consigam um diálogo com o comprador para conseguir os melhores valores.


Dica 3: O frete precisa considerar o valor da armazenagem

Você sabia que o modal de embarque influencia diretamente no valor final do produto? Pois é. Por isso, é muito importante cotar o frete levando em consideração qual será o valor pago na armazenagem da importação a ser nacionalizada. Assim, o ideal é comparar os valores para decidir a opção de frete é mais vantajosa para a importação.


4. Aproveite os Regimes Aduaneiros Especiais


Em alguns casos, o produto importado poderá receber de isenção parcial ou total, com a utilização do Regime Aduaneiro Especial mais adequado para a operação. Fique atento para a Legislação e veja as regras de aplicação.


5. Atenção na documentação e classificação



Para evitar despesas adicionais, é importante verificar a emissão de todos os documentos obrigatórios e enquadrar a mercadoria na Classificação Fiscal adequada. Faça uma revisão detalhada e confira se todos os dados fornecidos para análise estão corretos.



Posts recentes

Ver tudo